Saiba tudo sobre o papel do Design no Inbound Marketing

Há algum tempo atrás, aqui no Blog do Inbound, publicamos um artigo didático e detalhado sobre o que é Inbound Marketing e como ele é importante para qualquer negócio.

E, com a evolução acelerada das técnicas de conteúdo digital e tudo o mais que a prática envolve, diversas ferramentas surgiram para automatizar o processo, e muitas agências se formaram ou evoluíram nesse rumo.

Até aí tudo bem, nada errado. O grande problema é que, nessa história, quem fica para trás é o pobre coitado do design, que, apesar de todas as automações, continua frio e impessoal, completamente sem alma.

Mas, se todo o processo de Inbound ou Marketing de Atração começa com a leitura da persona ou avatar, por que cargas d’água o design dos sites, blogs e ferramentas não ouvem e nem sequer começam por ela?

A resposta para essa e outras perguntas é o que você vai conferir nesse post exclusivo, então, não abra outra janela agora e fique comigo nas próximas linhas que você vai descobrir.

O Design no Inbound Marketing é o cartão de visitas da sua empresa

Você provavelmente já ouviu ou leu em algum lugar a expressão “a primeira impressão é a que fica”. Pode até parecer clichê, mas ela é a mais pura verdade e deveria ser levada mais a sério, vejamos como no passo-a-passo do Inbound.

Sites e Blogs

Blog Inbound Design imagem

É por aqui que os visitantes chegam e é nesse espaço que eles vão começar a interagir com você e sua empresa. Por isso mesmo, o processo do Inbound Marketing começa aqui, pois é no site ou blog (no marketing de atração, consideramos o blog) que vai estar o formulário de captura que vai te jogar em uma landing page oferecendo um e-book como recompensa, por exemplo.

Logo, como você sabe, o blog é o cartão de visitas, a porta de entrada do seu público. Funciona como a vitrine de uma loja que você só entra se viu roupas bonitas e atraentes através do vidro, convidando diretamente a entrar e experimentar a peça ou as peças que você gostou.

Dessa forma, você deve se preocupar e muito com o layout desse ambiente digital, pois é nele que as vendas podem começar, e a autoridade e a credibilidade com sua audiência se iniciam. E como parte integrante da metodologia Inbound, o conteúdo deve ser destacado com clareza e sensibilidade, deve oferecer uma experiência única ao usuário.

É nesse local, aliás, que se aplicam as regras de usabilidade mais preciosas que possam existir, sobre as quais falarei detalhadamente em um próximo artigo, pois é um tema complementar ao Web Design e, portanto, igualmente extenso.

Mas, por ora, lembre-se de que toda interatividade com o site deve fluir, os botões de chamada para ação (CTA ou Calls To Action) devem ser posicionados de forma a não prejudicar o acesso ao conteúdo, que é o grande destaque aqui.

Da mesma forma, os links que forem inseridos devem facilitar para o usuário o retorno ao site e devem funcionar perfeitamente, sem redirecionamentos incorretos ou quebras.

Se você ainda duvida, apresento um dado muito interessante obtido através de uma pesquisa desenvolvida por Elizabeth Sillence e seu time que chegou a seguinte conclusão: 94% dos usuários abandonam um site quando o seu design é ruim. Sendo assim, sigamos em frente no funil do Inbound.

E-books

De acordo com a Hubspot, agência referência no assunto, as etapas do funil do Inbound seguem o esquema ilustrativo abaixo, no qual todo esse texto vai se basear.

Blog Aotopo Inbound Design

Sendo assim, na fase de atração, peguemos o e-book como exemplo clássico de recompensa digital oferecida. A forma mais comum de se criar um, em termos visuais, é abrir um documento Word ou PowerPoint, escrever o conteúdo, escolher um template “bonitinho” qualquer, exportar para PDF e pronto, voilà.

Uma forma bem barata e relativamente segura, certo? Errado, o barato sai caro nesse caso.

Considerando que o objetivo principal aqui é a venda, como a maioria dos casos, do que adianta em sua copy (texto persuasivo) você exaltar o produto e o valor que ele e você vão acrescentar a sua persona se o seu ponto de partida, o e-book, tem um layout “qualquer” só para abrigar o seu texto?

Ele tem que estar alinhado com os valores pregados por você durante o funil, mesmo que seja uma peça inicial do processo. Afinal de contas, ele é a carta de vendas, é o que se apresenta ao seu “cliente” primeiro.

Landing page ou Squeeze page

Landing page wordpress

Agora que seu livro digital já está pronto, é hora de hospedá-lo em uma Landing Page para capturar o e-mail dos visitantes de seu site ou blog para torná-los leads e por aí vai. Mas aí você me diz, qual a imagem que o seu usuário vai ter de seu negócio se o e-book e a Landing Page tem um Design pobre e feio?

É como você ser convidado para jantar na casa de alguém e sentar para comer numa mesa sem adorno, sem toalha ou jogo americano, apenas pratos sobre postos na mesa diretamente. O que você ia achar disso? Coloque-se sempre no lugar do outro, ou seja, não faça com os outros o que você não queria que fosse feito com você.

Lembre-se, o Design no Inbound Marketing deve ser centrado na experiência do usuário, não na sua, então, quanto mais maravilhado o seu visitante ficar, mais suscetível à conversão ele vai ser.

Deixa eu apresentar alguns dados oferecidos pela agência Italiana Verba Creative.

  • 45% das pessoas que utilizam Squeeze Pages são mais propensos a comprar.
  • 47% das páginas de captura ajudam a fechar mais vendas e fidelizar clientes.
  • As Landing Pages podem aumentar em 80% a conversão.

Acredito que já tenha dado para perceber que esse é um meio tão valioso na segunda etapa do funil (a conversão) que você não pode desperdiçar com um Design feio.

Newsletter e/ou e-mail marketing

O design do e-mail marketing e newsletters
Voltando à jornada Inbound do consumidor, temos a fase do fechamento, onde o visitante já se tornou lead e você está se preparando para torná-lo seu cliente. E é exatamente aqui que você deve tomar mais cuidado e manter a atenção 100% no Design, pois já foi comprovado o quanto um Design robusto impressiona e aumenta a taxa de cliques em seus E-mails e Newsletters, em especial.

E, falando nisso, esse é o ponto onde os softwares de envio de e-mail falham fortemente, pois não oferecem um visual amigável. Por mais que já tenham alcançado um bom nível de automação e conexão com redes sociais, infelizmente ainda não conseguiram resolver esse “probleminha”.

E, quando se fala em Design de E-mail Marketing, sites e afins, é importantíssimo também ressaltar a responsividade mobile. Dados apontam que apenas 38% das newsletters podem ser visualizadas em mobile. Isso significa que a grande maioria delas, 62%, ainda não é otimizada para esse meio, um número ainda alarmante e relativamente assustador. Saiba mais sobre E-mail Marketing para Mobile neste post.

Hoje em dia, onde temos o maior número de pessoas utilizando Smartphones, Androids e Tablets no Brasil e no mundo (cerca de 80% globalmente falando e 66% no Brasil), é praticamente impossível não considerar essa plataforma quando se pensa e idealiza o layout do mailing do seu negócio.

Redes Sociais

Blog Inbound Design imagem

Por último, mas não menos importante nessa jornada toda, estão as redes sociais, seja ela qual for. É claro que existem algumas, como Instagram e Pinterest, que exigem um cuidado maior com fotos e por isso o bom Design é fundamental. Mas isso não significa que as mais populares, como o Facebook, precisam ficar de lado nesse quesito.

Aliás, quando falo em Facebook automaticamente pensa-se em Ads e Links Patrocinados, mas é válido ressaltar que os posts, principalmente em uma FanPage profissional, também devem ser considerados.

Pude comprovar na prática, em minhas páginas de negócios, o quanto o alcance aumenta quando publico imagens de alta qualidade juntamente com a legenda. Comparado com uma postagem mais simples, chega a haver um aumento de até 70% em interatividade e alcance. É absurdo.

Exemplos a serem seguidos

Essa seção eu dediquei inteiramente às boas práticas, ou seja, exemplos de designs robustos e bem aplicados que fizeram a diferença em seus nichos de mercado.

Portanto o objetivo agora é deixar você analisar, por isso não vou explicar ou desenvolver nada, apenas deixarei você viajar nas imagens dessa galeria e se inspirar no que é certo. Então fique à vontade e depois me acompanhe na conclusão dessa pendenga.

Conclusão e Dicas

Acredito que, agora, no final desse artigo, você tenha compreendido que não adianta nada ter um ótimo produto, com uma ótima venda e todos os mecanismos funcionando corretamente se você não investir em algo primordial como o Design.

Seja qual for a etapa do funil durante a jornada do consumidor, é o bom layout que vai atrair, pois qualquer fase é uma vitrine. A partir do momento em que você se comunica com seu público, ele está te vendo e um Design pobre repele mais do que atrai.

Portanto, cuidado ao comprar ferramentas de automação, pois a grande maioria torna tudo mecânico, menos o layout. Não que você não possa usá-las, mas é preciso escolher com atenção, pois toda experiência visual conta para a conversão do visitante.

E para encerrar o assunto, deixo aqui algumas dicas para melhorar o seu Design e que você deve ter percebido através dos exemplos que dei:

  • Entenda e se atente sobre como as pessoas visualizam seu site e então dê a elas a melhor forma de navegar com um layout de coluna única, facilitando o escaneamento da página do site e Landing Page.
  • Ao criar uma Squeeze Page, se atente para não pedir muitas informações no formulário a fim de não tornar a página extensa e feia, visualmente falando.
  • Mantenha a consistência na interface de todos os materiais para garantir que eles falem entre si e mantenham a ligação com a identidade visual de sua empresa.
  • Se atente ao uso de cor, contraste e profundidade para estabelecer uma combinação clara entre as partes de sua página, o que vale até para e-mails.
  • Se atente para tamanhos, formatos e resolução ao usar imagens em blogs, Landing Pages e E-books.
  • E por último, mas não menos importante, siga o que o mestre do Design amigável Steve Jobs uma vez disse:

    “Design não é apenas como se mostra ser, ou parece ser. Design é como funciona.”

Se você gostou desse post e ele foi importante para você, deixe nos comentários suas experiências com o Design no Inbound Marketing que nós teremos o prazer em ler e trocar figurinhas. Até mais.