Assessoria de Imprensa Digital

Jornalismo e SEOQuarta parte do capítulo “SEO e Jornalismo – Uma visão prática e desmistificada”, da segunda edição do livro “Jornalismo & Mídias Digitais” (lançamento previsto em 2013)

A assessoria de imprensa e seus comunicados ou press releases, são uma ótima prática de divulgação no mundo offline como online. Enviar comunicados para a imprensa é uma prática realizada de forma comercial.

Aliás a própria definição do Wikipedia nos mostra que “pode ser considerado apenas uma propaganda da notícia em si, como uma divulgação de um novo livro, show, serviço, etc.”, “O release deve conter informação jornalística com objetivo promocional para o assessorado, ou seja, ser ao mesmo tempo de interesse jornalístico e institucional”.

No ponto de vista do SEO, fazer assessoria de imprensa ou relações públicas, equivale a chamada prática do Link Building ou construção de linkagem na Internet.

Rel=”nofollow”

A maioria dos jornalistas, assessores de imprensa ou profissionais de relações públicas, nunca tiveram que entender de HTML. Mas agora, se tornou imprescindível.

É preciso saber, por exemplo, que no código de um link existe um atributo que muitas vezes é inserido. O famoso rel=”nofollow”. Quando esse trecho de código é adicionado, seu link passa a não ter mais valor para motores de busca como o Google.

O próprio Matt Cutts, diretor de web spam da empresa, falou sobre o rel=”nofollow” numa entrevista de 2007 deixando claro que links levando esse atributo eram descartados do gráfico de links deles e nem deixavam o robô continuar na descoberta das páginas linkadas.

Como falamos no jargão de SEO, esses links “não passam juice!”

Quando esse atributo existe no link, a única vantagem é que você tem links na sua matéria e quem for lê-la, poderá clicar neles para obter mais informações, mas você perde toda esperança no aumento do seu PageRank e na melhoria dos seus rankings.

Certos sites de notícias até bloqueiam os press releases através do arquivo robots.txt ou da tag canonical, onde eles deixam claro para os robôs que essas matérias não devem ser indexadas.

É por todas essas razões que o assessor de imprensa deve manter isso em mente no momento de enviar seu comunicado e negociar com o jornalista do veículo de imprensa.

O objetivo para o jornalista digital não é de abusar com os links e acabar fazendo spam. Porém, ele não pode esquecer de inserir links relevantes para o leitor, isso com certa sutileza e de preferência sem rel=”nofollow”. Como também verificar que seu comunicado será indexado.

Senão, os rankings e consequentemente a influência dos seus comunicados podem ser prejudicados.

Pinguim e Matt Cutts

A atualização do algoritmo em 2012, chamada Pinguim, e as declarações do Matt Cutts no final do mesmo ano, fizeram evoluir a prática do Link Building. Agora, a manipulação do texto âncora do link (por exemplo usando as palavras-chave do assunto de forma repetitiva) pode ser considerada SPAM pelo robô e penalizada.

Por isso é preciso tomar cuidado e ser sutil, sempre focando no usuário e na relevância da informação que você está passando para ele. Como também links conseguidos em escala podem ser detectados e terão cada vez mais um impacto menor. O Google, querendo sempre melhorar a relevância dos seus resultados de busca, tenta cada vez mais refinar seu algoritmo.

A mensagem que nos dá é a de que para o jornalista digital conseguir bons rankings, precisa escrever pensando sempre em seu público. O objetivo não deve ser manipular o texto âncora ou tentar inserir a qualquer custo seus links em sites de alta autoridade e PageRank, bem menos o de optar pela quantidade de links em sites irrelevantes.

Isso não é uma boa estratégia no longo prazo. O algoritmo irá se refinar cada vez mais, portanto seja autêntico e transparente.

Como disse o Mike Cherenson, ex-presidente e CEO da Public Relations Society of America, “a construção da ligação autêntica e relevante, visando ao maior engajamento, informando ao público e construindo relacionamentos mutuamente benéficos, deve ser uma parte de cada esforço de relações públicas e SEO”.

Por fim, acho bom ressaltar que apesar do Matt Cutts tentar sempre evangelizar as boas práticas do Google, fazendo declarações do tipo “links de comunicados de imprensa não ajudam nos rankings”, uma campanha de assessoria de imprensa é uma ferramenta poderosa para SEO.

O fato de conseguir postar várias cópias do seu comunicado em vários sites, isso com links apontando para os lugares adequados, acaba alavancando seus rankings se for bem executado.

E não pense que seu conteúdo será penalizado por ser considerado duplicado. Afinal, se ele é de qualidade, o fato de ser compartilhado é bom sinal.

Me adicione ao Google+ e siga-me no Twitter @EricApesteguy

  • Hetie

    Boa tarde, Eric
    pesquisando sobre “conteúdo duplicado” cheguei ao seu site. Acredito que você poderá esclarecer minha dúvida: eu posso enviar o mesmo press release para vários veículos de divulgação na internet? Seria considerado conteúdo duplicado ou essa situação não é válida em se tratando de press release? Se for considerado como tal, haveria algum problema escrever vários press releases com conteúdo diferente, ou modo de escrever um diferente do outro (vários autores, por exemplo?)
    Obrigada e fico aguardando sua resposta.
    Hetie

  • http://www.aotopo.com.br Eric Apesteguy

    Boa tarde Hetie, tubo bem com você?
    Você pode enviar o mesmo press release para vários veículos na Internet. Divulgar é sempre bom!
    Melhor ainda se você contextualize com o veículo também, principalmente alterando o título, linkando entre eles, com e sem atributo rel=”nofollow”, dependendo do caso. Acho que só precisa ser de forma natural, e consequentemente na quantidade certa.
    O Google poderia te penalizar se você usasse automação ou chegasse no esquema de links para enganar o algoritmo dele.
    Queria lhe perguntar como chegou nesse artigo pesquisando por “conteúdo duplicado”? Não entendi, pois no Google não apareço nessa expressão-chave.
    Abraços

  • Hetie

    Bom dia, Eric
    Obrigada por sua resposta.
    Não saberia te dizer agora como cheguei até você. Sou Coordenadora de Marketing e PR para LATAM, em uma empresa química Inglesa (Belzona) na Flórida. Vamos ter uma grande reunião de distribuidores em janeiro e vários lançamento no encontro e também antes dele novas situações na empresa. Esse lado de press releases e/ou new releases é muito falho e estou planejando um novo plano de ação (assumi esta posição há 6 meses; embora jornalista, trabalhava em outra área). Comecei esta semana a pesquisar sobre o envio dos press releases com o mesmo contéudo. Realmente não sei se há algum problema de ser o mesmo conteúdo para vários websites online. Acho que fui pesquisando “press-releases”, etc, “conteúdo / mesmo press-release” .. e acabei chegando no seu artigo – acho que deveria estar na 2a. ou 3a. pagina da minha pesquisa google.. Desculpe-me não lembrar! Não sei se te interessa ou não, mas imagine você que tenho mais de 100 free (que também têm categorias pagas) websites on line para postar os press releases / new releases nos USA (e alguns dão acesso para Canadá, UK, German, França e Itália)… Do Brasil, se consegui uns 5 ou 6, foi muito.(lamentável…).. Ainda não fui para a América Latina de um modo geral…
    Desculpe, o comentário ficou muito longo..bom, pelo que entendi, então posso distribuir o mesmo release/news e tb mudando alguma coisa!? foi o que pensei e vou fazer…Volto aqui depois…Muito obrigada por sua atenção.
    Hetie

  • http://www.aotopo.com.br Eric Apesteguy

    Bom dia Hetie,

    Para te ajudar, além dos press releases, também é bom listar seu site em vários diretórios. Segue um artigo da Aotopo sobre o tema: http://www.aotopo.com.br/lista-de-diretorios-para-link-building/
    Pode distribuir sim, o bom é modificar o título pelo menos. Se puder contextualizar mais em função do veículo, melhor.
    Abraços

  • Hetie

    Obrigada, Eric, por suas valiosas informações.
    Desejo sucesso contínuo.
    Abraços,
    Hetie