A propaganda Mobile na estratégia de conteúdo

Hoje em dia, não tem quem não ande com um celular no bolso. Afinal, além de servir ao seu propósito tradicional de fazer e receber ligações e trocar SMS, ele serve para acessar as redes sociais e dar uma olhada na Internet toda vez que bate aquela dúvida sobre “onde estou” e “para onde vou”.

Fora isso, quem nunca acessou o Google pelo celular para dar uma pesquisada em alguma coisa quando precisa, hein? Pois é, não tem jeito, o mobile já faz parte das nossas vidas. Existe até uma pesquisa divulgada pelo Google Brasil comprovando que 90% da população troca de dispositivos até alcançar o seu objetivo.

E o que isso significa? Que o mobile é a alternativa mais popular quando se precisa trabalhar ou acessar dados de um lugar para o outro.

Mas, para acessar a informação rapidamente, não dá para conviver com aqueles anúncios pop-up irritantes, ou aqueles 5 segundos de comercial do Youtube que somos obrigados a ver primeiro em qualquer vídeo acessado no desktop.

É aí que as estratégias de Inbound Marketing entram com tudo, evitando que a publicidade tradicional interrompa a sua rotina. Esse, aliás, é o grande propósito do método e o porquê dele existir. Mas como assim? O que tem a ver anúncios mobile com marketing de conteúdo?

A resposta passa pela Publicidade Nativa, da expressão em inglês Native Advertising, e que você já até viu por aqui o que significa e por que ela está em crescimento acelerado. Mas, nesse post, você vai entender como o mobile ads influencia na sua estratégia de conteúdo. Então fique ligadinho aí para não perder nada. Vamos lá?

A propaganda mobile e o marketing de conteúdo

Mobile Marketing Aotopo

O Inbound Marketing é também conhecido no Brasil como Marketing da atração, justamente por ser diferente da invasiva publicidade tradicional.

O princípio do Inbound é atrair os consumidores às compras sem incitar uma aquisição imediata. Para isso, baseia-se na jornada do consumidor apresentada a seguir, permeando toda a sua entrega de ações.

Blog Aotopo Inbound Design

Na propaganda mobile, o marketing de atração funciona da mesma forma, através de um funil.

Segundo a metodologia Google de agir em seus negócios, ao criar para dispositivos móveis, 4 formatos de atividade são considerados na seguinte ordem:

  1. See
  2. Think
  3. Do
  4. Care

Para você entender melhor o comparativo que quero fazer, preparei o quadro abaixo com a técnica Inbound, o método Google e o que acontece na etapa correspondente.

Inbound Google Tipo de Oferta
Atrair See
  • Conteúdo geral
  • Branding
  • Blog
  • SEO, Mídias Sociais
Converter Think
  • Conteúdo mais segmentado
  • Valor da marca
  • Micro-conversões
  • CTA, Formulários, Landing pages
Fechar Do
  • Conteúdo ultra-segmentado
  • E-mails, pontuação e nutrição de leads
  • Atendimento
Encantar Care
  • Conteúdo inteligente
  • Eventos
  • Mídias Sociais, nutrição de leads

Aplicando estratégias de conteúdo na criação de anúncios mobile

Mobile ads

Ainda segundo o Google, é recomendado criar publicidade para dispositivos móveis de acordo com a fase do funil que o consumidor se encontra.

E aqui é fundamental considerar formatos de entrega.

Confira agora o tipo de conteúdo por etapa e os formatos que cada uma deve considerar na criação de anúncios.

See/Atração

O grande objetivo do conteúdo aqui é aumentar o alcance e, para isso, o conselho é usar Youtube e redes sociais juntos para impulsionar o impacto da sua propaganda.

Os formatos de anúncios em vídeo são 3:

  • Mobile Masthead: Essa categoria de propaganda, nos celulares, aparece logo na página inical do Youtube, tanto na versão site quanto em app.
  • True View: Eles aparecem no começo de qualquer vídeo em que você aperte o play. Aparecem combinados a ofertas de instalação de aplicativos.
  • Bumper Ads: Assim como o formato anterior, ele aparece no início de qualquer vídeo do Youtube depois do play, mas sua duração não pode passar dos 6 segundos e não pode ser pulado. É importante ressaltar aqui que ele é uma alternativa da publicidade para aquele irritante comercial de 30 segundos que você só pode passar depois de 5 segundos assistindo.

Think/Conversão

Aqui é onde existe a interação com o consumidor que apresentou uma intenção de compra. Sua forma mais comum de apresentação é através da rede de display (GDN), que, segundo o Google, tem 94% de alcance com o light box.

Do/Fechamento

A meta aqui é capturar aqueles consumidores que apresentaram uma intenção de compra e que você já se relacionou na fase anterior (Think). Aqui nós temos algumas maneiras de entregar, sendo 4 as mais comuns;

  • Google Shopping
  • Instalação de apps através de resultados na busca e extensões.
  • Call Extensions que permite que, com apenas um clique, pessoas entrem em contato com você por telefone.
  • Geo Localização através de cookies, buscador, ou extensões que facilitam localizar onde a sua loja ou empresa se encontra, o que está cada vez mais ganhando força nos dias de hoje.

Care/ Encantamento

É a última e decisiva etapa onde o negócio é retargeting ou remarketing, para trazer de volta aqueles que uma vez ficaram interessados em adquirir algo de você, seja um produto ou serviço, ou acessaram o seu site.

O modelo de criação mobile nesse caso são os apps, vídeos ou sites, onde você pode oferecer descontos, ofertas especiais e dar um tratamento VIP. Essa é tida como uma ótima estratégia para fidelizar, pois 49% dos compradores visitam sites até 4 vezes antes da compra.

Esses são os formatos sugeridos pelo serviço de busca, mas é fundamental lembrar que também existem outros que já são amplamente usados e que, combinados, podem oferecer um grande valor em cada fase mencionada.

Veja uma lista com alguns dos modelos usados para aplicação de conteúdo mobile:

  1. Banners
  2. SMS (Mensagem de texto)
  3. Notificação Push
  4. Advergames, que são os anúncios incorporados em jogos
  5. MMS (Mensagem Multimedia)
  6. Whatsapp

Contudo, mesmo com toda essa possibilidade disponível, existem algumas considerações a serem feitas a respeito desse universo móvel.

Anseios e implicações na criação para mobile

mobile-marketing

 

O crescimento da publicidade nativa no ramo dos dispositivos móveis traz, de fato, muitos benefícios, como vimos, mas também nos traz anseios quanto a eficácia de sua aplicação em nossa cultura.

Lá fora, na América do Norte e Europa, os anúncios mobile já são uma realidade faz tempo e, portanto, já são usados com propriedade.

Porém, em nossas terras, a coisa é diferente. Apesar da proatividade e diálogo com o consumidor que vem sendo desenvolvido, ainda é preciso criar mais, pensar fora da caixa e explorar novas possibilidade.

Há uma tendência, nas empresas e agências que passam a anunciar em dispositivos móveis, de copiar modelos pré fabricados lá de fora e replicar por aqui.

Segundo John Osborn, CEO da BBDO de Nova York  em entrevista ao Meio & Mensagem, estamos passando por um momento de mudança e, portanto, a hora de arriscar é agora. Ele afirma ainda que é preciso estar atento à realidade do novo consumidor e aos elementos que estão presentes em sua realidade hoje, mesmo não sabendo onde isso vai dar.

“Criar um anúncio no mobile é como construir um avião em pleno voo e é impossível prever o resultado.” John Osborn.

Resumindo

Mobile Ads - Propaganda no celular
Você viu então que as estratégias de marketing de conteúdo podem perfeitamente serem aplicadas em anúncios mobile, seguindo a mesma jornada do consumidor no Inbound através de diversos formatos de entrega.

Diferentemente do que acontece na propaganda tradicional, os dispositivos móveis têm características peculiares que permitem anunciar sem que os consumidores percebam, encantando e fidelizando.

Mas, para isso, o mercado brasileiro precisa ter cuidado para não se tornar repetitivo e explorar toda a riqueza que o meio pode oferecer.

Nesse sentido, uma das grandes promessas são os anúncios em vídeo, que além dos 3 formatos que citei na fase See, apresentam uma infinidade de possibilidades que vou explorar em um próximo artigo, mas que, de forma não invasiva, dialogam com o consumidor e fornecem valor e conteúdo de qualidade.

Logo, não restam dúvidas quanto ao poder do conteúdo na criação de propaganda mobile e alternativas de grande importância que precisam ser valorizadas. O mundo está no mobile, investir é questão de sabedoria e relevância.

Gostou desse texto? Então não deixe de compartilhar em suas redes sociais e acompanhar nossos demais artigos aqui no Blog do Inbound.