5 razões por que a Publicidade Nativa tem um futuro brilhante

Publicidade NativaNão há dúvida de que a publicidade nativa tem um futuro brilhante.

Pesquisa de MandLoys indica que 70% dos usuários querem saber mais sobre uma empresa ou um produto através de conteúdo. E, vamos encarar: os modelos antigos simplesmente não estão funcionando. Sete em cada 10 pre-rolls são ignorados, e as pessoas raramente clicam em banners por escolha.

Simplificando, se você quiser realmente envolver os consumidores, você tem que executar uma campanha de conteúdo direcionado, e você tem que obter esse conteúdo para um grande público, precisamente quando e onde eles querem mais.

Anúncios nativos podem fazer isso.

Embora a publicidade nativa ofereça enormes vantagens para ambos os editores e anunciantes, também vem com dois grandes desafios: conveniência e escala. Não é nem fácil criar um anúncio nativo (ao contrário de banners), nem é fácil de comprar anúncios nativos em grande escala.

Então o que acontece?

Com a publicidade nativa varrendo a indústria, é apenas uma questão de tempo até que a tecnologia de publicidade alcança a demanda. Vamos dar uma olhada em cinco principais desenvolvimentos que irão acelerar o cenário da publicidade nativa nos próximos anos.

Um modelo de veiculação de anúncios nativos padronizado será adotado

A fim de veicular anúncios nativos, atualmente os interessados ​​estão usando iFrames arcaicos e soluções JavaScript personalizadas, sintonizados com o estilo do modelo de cada editoria. Esta abordagem é custosa e não será dimensionada.

Em 2008, o Modelo de Veiculação de Anúncios de Vídeo VAST (Video Ad Serving Template) foi padronizado para permitir uma troca de protocolo comum entre os tocadores de vídeo e servidores. O Modelo de Veiculação de Anúncio Nativo NAST (Native Ad Serving Template), como o chamamos – será padronizado pelo IAB (Internet Advertising Bureau) em breve. Os editores, anunciantes e empresas tecnológicas especializadas em publicidade nativa, usarão essa estrutura como uma linguagem de comunicação comum.

Editores (Publishers) criarão espaços de anúncios nativos em minutos

Cada editor tem seu próprio design, CMS e estilo de apresentação de conteúdo. Nem todo editor tem os recursos técnicos para vir com uma solução caseira para veicular anúncios nativos.

Sistemas serão construídos para permitir que os editores designem os seus próprios pontos de anúncios nativos com poucos cliques e visualizem o resultado. Eles serão capazes de controlar o tipo de conteúdo de marca que será promovido nestas colocações nativas. Isto acabará por deixar qualquer editor, independentemente da sua dimensão, começar a oferecer anúncios nativos e rentabilizar da forma mais não-intrusiva.

Os anunciantes vão criar anúncios nativos com zero de custo de produção

Os anunciantes de todos os portes já têm um monte de conteúdo no YouTube, Instagram, Tumblr, Slideshare e em seus blogs empresariais. O desafio está, muitas vezes, em encontrar uma maneira de colocar facilmente todo esse conteúdo para o formato adequado para uma campanha nativa.

Criadores de anúncios serão construídos para extrair o conteúdo de todas as plataformas sociais de uma marca e, instantaneamente, transformar o conteúdo em anúncios nativos.

Isto é crítico porque agora metade da atenção do conteúdo da marca que pode entrar em plataformas sociais vem dentro das primeiras 3 horas de postagem. Marcas precisam de uma forma de redirecionar o seu conteúdo existente para ampliar ainda mais seu alcance. Usando anúncios nativos sem ‘costura’ para distribuir conteúdo existente em toda a web aberta e aplicativos móveis, as marcas começarão a ver mais e melhores retornos sobre o seu custo de marketing.

Mercados de anúncios nativos surgirão

Para simplificar o processo de compra para os anunciantes, os botões “promover” e “distribuir” serão criados para plataformas como HubSpot, Contently e KaPost. Conteúdos dessas plataformas serão empurrados para dentro de um mercado, tornando-se disponível para serem exibidos no lugar mais ideal para espaço de publicidade nativa, com base na relevância, contexto e público demográfico.

Para os poucos editores que são grandes o suficiente para terem marcas batendo em suas portas, haverá sistemas que automatizam o processo de programação de compra de espaços de anúncios nativos, muito parecidos com BuyAds e ShinyAds para o mundo dos banners.

Uma vez que o anunciante comprará um espaço, os editores serão capazes de aceitar ou rejeitar essas demandas. Na ausência de campanhas vendidas diretamente, editores serão capazes de usar o conteúdo do mercado.

Integrações inteligentes trarão a publicidade nativa para o ecossistema maior

Camadas serão construídas em cima de plataformas existentes (DoubleClick, OpenX) para permitir que os editores vejam análises de seus formatos de anúncios regulares e anúncios nativos em um só lugar.

Serviços que gerem atualmente a distribuição de anúncios (plataformas supply-side como Pubmatic) e a venda destes anúncios (plataformas demand-side como AppNexus) terão plugins que podem também servir anúncios nativos. Isso permitirá que mais editores criem espaços nativos junto com espaços de banner, e para os anunciantes comprá-los juntamente com quaisquer outros formatos.

A tendência para o marketing e publicidade de conteúdo está ganhando impulso significativo.

A Federated Media tem feito um bom trabalho em mostrar o potencial da propaganda nativa e os primeiros inovadores, como Forbes e Atlantic Media estão definindo o caminho para as marcas pensarem os anúncios nativos em seu mix de mídia. Várias outras empresas estão inovando para construir o ecossistema. Nossa empresa, AdsNative está construindo algumas dessas tecnologias para tornar a promessa de publicidade nativa possível para os editores e anunciantes em toda a web.

O santo graal da publicidade é quando os usuários consideram uma parte do anúncio de sua experiência e vale a pena a sua atenção, assim como o comercial de Super Bowl ou uma página cintilante na Vogue. No mundo digital, o equivalente não é um banner ou pre-roll de vídeo, é um anúncio de nativo!

Momentos emocionantes pela frente.

Satish Polisetti é cofundador da AdsNative, uma empresa TechStar Boulder da classe de verão de 2013. Ele já trabalhou em publicidade móvel startups Amobee e MdotM e recebeu uma bolsa do Fundo Mayfield em 2010.

Esse post foi traduzido e adaptado do post original do Satish Polisetti e Dhawal Mujumdar

Me adicione ao Google+ e siga-me no Twitter @EricApesteguy

  • Portal Desempregados

    Muito bom seu artigo sobre publicidade nativa

  • Léo Aguiar

    Olá boa tarde. Adorei o conteúdo sobre anúncios nativos. Muito boa a informação. Queria saber se é possível hoje em dia colocar um anúncio nativo no meu blog e monetizar com ele. Existe alguma empresa que já disponibiliza este tipo de anuncio para “publishers” utilizarem em seus blogs?

    • http://www.aotopo.com.br/ Eric Apesteguy

      Olá Leo, que bom que gostou do post!
      Existem várias redes de publicidade online que você pode instalar no seu site ou blog para veicular anúncios sejam eles nativos ou não.
      Alguns exemplos: Boobox, Teads, Sharethrough, Adyoulike, NativeAds, etc.

      • Léo Aguiar

        Muito bom Eric. Você consegue indicar quais são as melhores em termos de reputação e taxa de CPM/CPM.?

        • http://www.aotopo.com.br/ Eric Apesteguy

          Olha, não sei dizer assim, depende. Cada um tem suas especificidades, de formatos, etc. Você vai ter que pesquisar com cada um deles, até para ver como cada um se adapta ao seu blog.

  • http://www.aotopo.com.br/ Eric Apesteguy

    Olá Léo, que bom que gostou do post!
    Existem várias redes de publicidade sim para você inserir anúncios no seu blog, sejam eles nativos ou não. Alguns exemplos são a Boobox, a Teads, a ShareThrough, a Adyoulike, a Native Ads, etc.