Estratégia de lance: qual usar?

Quem trabalha com mídia online com certeza já se deparou com várias possibilidades de estratégias de lances e muitas, mas muitas nomenclaturas. Mas qual é a ideal a ser usada? Para escolher é preciso levar em consideração certas variáveis, então seguem algumas dicas.

Antes de selecionar a estratégia de lance das campanhas é preciso identificar a meta ou as metas, pois será isto que vai guiar todas as estratégias e táticas. Feito isto, identifique se a meta é de branding ou performance.

Branding

Estratégia de lance Branding

Campanhas de branding podem ter metas como alcance, visibilidade, engajamentos, visualizações de vídeo, entre outras. E para estes tipos de metas o CPM é o mais indicado quando se trata de alcançar grande número de pessoas ou gerar maior visibilidade aos seus anúncios.

O custo por mil impressões prioriza as impressões dos anúncios, e como já diz o próprio nome a cobrança é realizada a cada mil impressões. Também existe o CPM visível, que pode ser utilizado no Google Adwords, no qual a cobrança é realizada quando ocorrem mil impressões visíveis. No caso do Adwords, uma impressão visível e quando 50% do anúncio  é exibido na tela por pelo menos um segundo.

Mas se sua campanha tem como objetivo gerar visualizações para um vídeo, o ideal é o CPV ou custo por visualização. Esta estratégia de lance ficou bem popularizada com os anúncios no YouTube no qual o  anunciante paga somente quando o vídeo anunciado gera uma visualização.

No YouTube o formato que funciona desta forma é o TrueView Instream onde a cobrança é realizada após o vídeo ser visualizado por 30 segundos ou por inteiro, no caso do vídeo ter menos de 30 segundos. Também é possível utilizar o CPV no Facebook, entre outras plataformas.

Performance

Estratégia de lance Performance

No caso de campanhas por performance como, por exemplo, vendas e leads, há grande variedade de precificação, portanto é preciso identificar o que está mais de acordo com o orçamento das campanhas e com as metas, além de realizar testes.

Exemplificando, você está criando campanhas com foco em geração de leads no Google, especificamente na Rede de Pesquisa. Neste caso seria ideal testar dois tipos de estratégias de lance, o CPC otimizado e o CPA. Ambos vão otimizar a veiculação dos anúncios com foco nas conversões, mas de formas diferentes.

O CPC otimizado terá foco em maximizar os cliques mais propensos a gerar conversão e você poderá estipular o custo máximo que deseja pagar pelo clique.

Já o CPA vai trabalhar a veiculação dos anúncios de acordo com o custo por ação que você deseja pagar, ou seja, a ferramenta tentará gerar conversões de acordo com o que você pode pagar por elas.

São duas boas estratégias de lances que funcionam bem, mas isso depende de fatores geográficos, volume de buscas, entre outros. Portanto, o ideal é testar estas duas estratégias e manter a que gerar o melhor retorno.

No mais, ainda existem outras estratégias como o custo por engajamento que é característico do Twitter, o CPM otimizado que é característico do Facebook, dentre outras mais.

O essencial é ter suas metas definidas, entender se é branding ou performance e realizar testes, pois não se faz mídia online sem testar.